Como posso mudar a cultura de absenteísmo da minha empresa?

Como é sabido, são inúmeras as causas que levam à abstenção do trabalhador.
Seja por problemas relacionados à saúde física e mental do próprio funcionário, por problemas particulares que envolvem questões familiares ou até mesmo por problemas relacionados à própria empresa, por seu ambiente e suas más condições de trabalho e gestão.
Todavia, o descontentamento com os problemas relacionados à empresa são os que mais geram absenteísmo.
Segundo uma pesquisa realizada pela Love Mondays, os brasileiros pontuam 3,47 pontos no quesito satisfação com o trabalho, sendo que os índices são medidos de 1 a 5, sendo 1 ‘muito insatisfeito’ e 5 ‘muito satisfeito’. 

O principal instrumento para mensurar e compreender o absenteísmo é a contabilização dos atestados médicos, certo?
Porém, nem sempre podemos confiar 100% nas informações contidas neste documento, isso porque os atestados médicos podem ser fraudulentos ou ideológicos.

Vamos entender um pouco mais sobre esses atestados:

Atestado médico fraudulento

A entrega de atestados médicos falsos está cada vez mais recorrente;
Rasuras no número de dias de afastamento, rasura na data de emissão, falsificação da assinatura e do carimbo médico são sinais destas adulterações que configuram ato de improbidade e infração contratual de natureza grave prevista no art. 482, “a”, da CLT, sendo motivo para a demissão por justa causa do empregado. (saiba mais em: Atestado médico com indícios de fraude, o que fazer?).

Segundo um estudo realizado no Espírito Santo, a cada 100 mil atestados médicos entregues, pelo menos 30 mil apresentam irregularidades e indicativos de fraude, gerando um prejuízo de quase 20 milhões de reais por ano às empresas de todos os segmentos produtivos!
Nitidamente, crimes como esse são extremamente dispendiosos para a empresa, portanto, a qualquer sinal de fraude, é aconselhável que a empresa converse reservadamente com seu funcionário para compreender os reais motivos que o levaram a essa adulteração e para explicar as consequências atribuídas à essa fraude.

Em virtude da recorrência dessas situações de atestados falsos, recomenda-se também a criação de um “comitê” de avaliação de atestados médicos, a fim de evitar que a empresa sofra com os prejuízos financeiros ocasionados por estes atestados fraudulentos.

Atestado médico ideológico:

Geralmente, nessas situações, o atestado médico é verdadeiro e foi emitido por um profissional devidamente registrado, porém, o motivo do atestado não condiz com a realidade do funcionário.
Veja alguns exemplos:

  • Funcionário não compareceu ao posto de trabalho pois participou de uma entrevista de emprego. Assim sendo, ele optou por entregar um atestado médico tendencioso, com um diagnóstico (CID) de uma doença inexistente, que não corresponde à verdade patológica do trabalhador, apenas para justificar a sua ausência.
  • Funcionário está enfrentando problemas domésticos e não se sentiu à vontade para falar diretamente com o seu gestor, por isso solicitou a um médico conhecido um atestado para se ausentar do trabalho sem ter que justificar o real motivo.

    Ambas as situações refletem um problema de falsidade ideológica que, para muitos, poder ser considerado até um crime. Entretanto, você já parou para pensar que talvez essa situação necessite ser visualizada por outro ângulo?
    Tente imaginar por qual motivo esse trabalhador está buscando outro emprego? Talvez o clima organizacional da sua empresa não seja agradável, talvez seus feedback não estejam sendo repassados da melhor maneira…
    Nessa situação, é imprescindível conversar com seus trabalhadores e identificar seus pensamentos e anseios em relação à empresa, caso contrário o turnover entre seus funcionários se tornará um significativo problema produtivo e financeiro!

    Já na segunda situação, antes de “castigar” o funcionário que se ausentou por problemas domésticos, tente auxiliá-lo de algum modo. Sugira um horário de trabalho flexível para que ele consiga resolver seus problemas pessoais, ofereça um suporte psicológico como parte de seu programa de qualidade de vida, elabore resoluções para evitar um longo afastamento por transtorno mental.

    A pronta resolução desses problemas certamente evitará que eles se agravem e, consequentemente, evitará futuras complicações financeiras muito maiores dos que as iniciais!
Vejamos abaixo uma ilustração dos motivos mais relevantes para abstenção:
As principais dicas que podem ajudar a evitar esses problemas:
  • Se atente se seu funcionário está satisfeito com: a equipe, com o gestor, com as condições de trabalho e salário, se apresenta algum problema de saúde física ou mental, algum problema familiar, etc, tente trabalhar com ele esses problemas e trazer possíveis soluções para evitar essas ausências.
  • Fique próximo da sua equipe e melhore sua comunicação com ela! Escutar suas críticas e sugestões é fundamental para conseguir motivar seus funcionários e fazer com que eles aumentem o seu desempenho, estejam mais engajados em suas atividades e consequentemente mais presentes no dia a dia. Realize pesquisas de clima!
  • Dê feedback positivos sempre que possível! A falta de reconhecimento é o que mais desmotiva um profissional e é o que mais faz o funcionário faltar no trabalho, portanto sempre que seus colaboradores atingirem suas metas ou tiverem atitudes louváveis, reconheça-os! Existem diversas maneiras para parabenizar um colaborador: prêmios, viagens, bonificações em dinheiro e até um simples informe no setor já é suficiente para aumentar a auto estima dos funcionários e fazer com que eles e os demais funcionários fiquem mais motivados
  • Promover reconhecimento profissional criando plano de carreira é uma ótima maneira de motivar seus funcionários. Mapeie os interesses do seu colaborador e o ajude a trilhar um caminho de sucesso profissional. Se a empresa não promove esse crescimento profissional, o funcionário não tem ambição, se não tem ambição ele perde a vontade de trabalhar, fica desmotivado, falta, se atrasa, não colabora com a equipe e acaba entrando no conceito de absenteísmo.
  • Tenha programas de qualidade de vida em sua empresa! Grande parcela da população passa a maior parte do seu dia no ambiente de trabalho, imagine se além dessas longas horas destinadas ao trabalho, esse ambiente for um local desconfortável e estressante? Pois bem, o resultado será um aumento significativo no absenteísmo pois os funcionários estarão doentes, com problemas de saúde físicos e mentais. Para mudar esse cenário a empresa deve adotar programas de qualidade de vida promovendo palestras e atividades sobre alimentação, atividade física e combate à doenças crônicas. A efetividade desses programas dependem que eles sejam direcionados às patologias mais apresentadas pelos seus trabalhadores, para isso é fundamental que se conheça quais são essas doenças. Assim a gestão do absenteísmo é essencial para esse diagnóstico.
  • Ofereça cuidados com a segurança e saúde do trabalhador, mantenha um PCMSO, Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, para cuidar da saúde física e mental do trabalhador através da prevenção e promoção de saúde, envolvendo acompanhamentos médicos periódicos para evitar as doenças ocupacionais, concomitante a um PPRA, Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais, eficaz, que tem o objetivo de identificar os possíveis riscos físicos, químicos e biológicos que existem no ambiente de trabalho e trazer as soluções de prevenções de acidentes de trabalho.
  • O absenteísmo é maior nas segundas e sextas-feiras;
  • O índice de absenteísmo é maior no inverno e menor no verão;
  • Mulheres geralmente faltam mais ao trabalho do que os homens;
  • A taxa de absenteísmo cresce nos dias que antecedem e nos que precedem feriados ;
  • Empresas maiores têm índices de absenteísmo mais altos do que as empresas menores;
  • Escritórios detém mais casos de absenteísmo do que as indústrias;
  • Funcionários que faltam muito no primeiro ano de trabalho, geralmente continuam faltando muito nos anos subsequentes.

Entre as situações legais, já previstas na legislação, que garantem a ausência do empregado das suas atividades sem ocasionar a perda da remuneração, temos: licença nojo, licença gala, licença gestante e licença paternidade e as faltas por doença que são protegidas por Lei desde que atestadas adequadamente.

Para entender um pouco dessas faltas, veja o infográfico abaixo:
Agora que você identificou as principais mudanças, veja no próximo post como realizar a gestão de absenteísmo da sua empresa!

Quer saber mais sobre sistemas de gestão? 
Conheça a Closecare, ​Sistema online para gestão de atestados médicos.