Conheça o perfil dos profissionais que mais sofrem acidentes de trabalho no Brasil

imagem de uma mão machucada e enfaixada.

Diariamente, milhares de profissionais sofrem acidentes de trabalho no Brasil ou apresentam doenças ocupacionais.

Quando isso acontece, é imprescindível que haja a abertura da CAT – Comunicação de Acidentes de Trabalho, que é um documento que deve ser emitido pela empresa e informado obrigatoriamente ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Os dados a seguir foram obtidos através da plataforma SmartLab, que foi desenvolvida a partir dos dados encontrados no Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho do Brasil. Essa plataforma busca desenhar um panorama dos números de Acidentes de Trabalho ocorridos dentro do território nacional no período entre os anos 2012 e 2018.

Foram encontrados os seguintes números:


SETORES ECONÔMICOS COM MAIS CAT

Foram analisados os setores econômicos com mais notificações de acidentes de trabalho, considerado o universo de trabalhadores com vínculo empregatício e encontrados os seguintes números:

1º)Atividades de atendimento hospitalar

Profissional da saúde sentado no chão, em um corredor de hospital
Número 378..305 casos.

Ocupando o primeiro lugar, com quase 400 mil casos, estão os profissionais de atendimento hospitalar.
Com alto risco de contaminação, esses profissionais estão constantemente expostos à agentes químicos e biológicos que podem ser prejudiciais à saúde.
Além de contarem com inúmeros problemas de ergonomia e desgastes emocionais, que podem levar a algum transtorno mental.

2º) Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – hipermercados e supermercados

Carrinho de mercado com o número 142.909 casos.

Em segundo lugar estão os profissionais do comércio varejista, principalmente os que trabalham com a indústria alimentícia, com 142.909 casos de acidentes de trabalho nos últimos 6 anos.

3º) Administração pública em geral

imagem de 2 mãos digitando em um notebook, representando o setor administrativo. Número 119.273 casos.

O terceiro lugar é representado pelos trabalhadores da área de administração pública em geral, somando um total de 119 mil casos de acidentes de trabalho.

4º) Construção de edifícios

imagem de um edifício em construção. Número 104.646 casos.

Outro setor significativo na lista de afastamentos fica por conta dos profissionais da construção de edifícios. Com quase 105 mil casos registrados, esse setor ocupa o quarto lugar entre os principais setores que mais sofrem acidentes de trabalho.

OCUPAÇÕES COM MAIS CAT

As ocupações mais frequentemente citadas em notificações de acidentes de trabalho são:

1º) Alimentador de linha de produção

O primeiro lugar é representado por todos os profissionais que atuam como alimentadores de linha de produção, profissão que está em constante crescimento e que é record em acidentes de trabalho, somando um total de quase 193 mil casos de acidentes de trabalho.

2º) Técnico de enfermagem

Em segundo lugar, com 174 mil casos de CAT, estão os técnicos de Enfermagem.
Profissão com alto risco de contaminação, os técnicos de Enfermagem estão constantemente expostos à agentes químicos e biológicos que podem ser prejudiciais à saúde.
Além de contarem com inúmeros problemas de ergonomia e desgastes emocionais, que podem levar a algum transtorno mental.

3º) Faxineiro

O terceiro lugar é representado pelos faxineiros que compõe um total de quase 110 mil casos de notificações de CAT

4º) Servente de obras

Os serventes de obras ocupam o quarto lugar com quase 98 mil casos de profissionais que sofreram acidentes ou doenças ocupacionais.
Profissão que exige atividades repetitivas, ocupa um grande destaque na lista de complicações por LER e DORT, além da grande exposição à ruídos, riscos de queda e acidentes por falta de uso de EPI’s – Equipamentos de proteção individual.

LESÕES MAIS FREQUENTES

Entre os profissionais que mais foram afastados do seu posto de trabalho por conta de acidentes ocupacionais, a maior parte teve como lesões:

  • CORTE, LACERAÇÃO, FERIDA CONTUSA, FERIDA ABERTA:
    734.515 casos
  • FRATURA:
    610.325 casos
  • CONTUSÃO, ESMAGAMENTO (SUPERFÍCIE CUTÂNEA INTACTA): 547.441 casos
  • DISTENSÃO, TORÇÃO:
    321.437 casos
  • LESÃO IMEDIATA, NIC:
    285.265 casos
  • ESCORIAÇÃO, ABRASÃO (FERIMENTO SUPERFICIAL):
    279.621 casos
gráfico com dados sobre lesões mais frequentes

Com as partes do corpo mais frequentemente atingidas: 

  • DEDO: 833.231 casos
  • (exceto dedos): 273.519 casos
  • MÃO (exceto punho ou dedos): 254.294 casos
  • JOELHO: 180.759 casos
  • PARTES MÚLTIPLAS: 152.437 casos
  • ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO: 135.788 casos
gráfico com dados sobre partes do corpo com lesões mais frequentes

ACIDENTES DE TRABALHO POR IDADE E SEXO

O gráfico abaixo nos mostra a faixa etária com mais notificações de acidentes de trabalho para homens e mulheres, considerado o universo de trabalhadores com vínculo empregatício.

Note que entre as mulheres, a faixa etária que detém maior número de acidentes é a de 30-34 anos, somando um total de 244.278 mil casos;
Já entre os homens, a faixa etária entre 18-24 anos é a que mais contabiliza esses acidentes, com um total de 549.334 mil casos.

Os riscos ocupacionais, incluindo acidentes e doenças ocupacionais, marcam um dos grandes problemas encontrados na SST – Saúde e Segurança do Trabalhador. Seja por negligência, por pouco investimento no setor, por más condições estruturais ou pelo não cumprimento de protocolos importantes, todas acabam gerando graves danos à saúde ou à integridade física do profissional.

A melhor forma de evitar acidentes e doenças de trabalho é elaborando e seguindo campanhas de prevenção!
Fique atento às possíveis situações de risco da sua empresa

Conheça a Closecare, sistema de gestão de atestados e saúde ocupacional!