Saiba quais riscos para saúde o consumo excessivo de álcool pode trazer

O alcoolismo é uma das principais causas de morte e incapacitação do mundo.
Responsável por inúmeros problemas de saúde, mentais e físicos, o consumo excessivo de álcool traz consequências não só para o consumidor, mas também para quem está ao seu redor.
Por se tratar de uma droga lícita, muitas vezes não recebe a devida atenção, uma vez que é extremamente nociva á saúde.

Veja abaixo uma lista de doenças que podem ser causadas pelo consumo excessivo de álcool:

Cirrose hepática:  o álcool é metabolizado pelo fígado. Quando  consumido em excesso e de modo crônico o órgão não dá mais conta da metabolizar esse álcool e acabam surgindo lesões que danificam o funcionamento hepático.

Pancreatite crônica: O nosso pâncreas é responsável pela produção de  insulina e por secretar enzimas que auxiliam na digestão. Os principais casos de pancreatite crônica foram identificados em pacientes etilistas, associando essa inflamação do pâncreas ao consumo excessivo de álcool.

Neuropatia periférica: muito dependentes crônicos de álcool apresentam lesões no funcionamento dos nervos das mãos e dos pés que resultam em sintomas de sensibilidade, como dormência e formigamento.

Problemas cardiovasculares: o álcool altera os valores pressóricos do nosso corpo e podem causar pressão alta, além de terem parcela na produção do LDL, colesterol ruim, que em excesso pode trazer muitos prejuízos para a saúde. Arritmia, inflamação do músculo do coração, infarto e AVC estão entre as complicações associadas ao consumo abusivo de álcool.

Câncer: o consumo excessivo pode desencadear vários tipos de câncer, tais como: câncer de mama, de boca, faringe, laringe, esôfago, fígado, entre outros.

Disfunção erétil: muitos relatos de etilistas mostram problemas relacionados a sexualidade. Isso ocorre pois o álcool é um depressor do sistema nervoso e acaba levando a situações como: ejaculação precoce, diminuição da libido e disfunção erétil.

Rebaixamento do sistema imunológico: altas dosagens de álcool no corpo podem interferir na contagem de leucócitos, que são nossos glóbulos brancos, interferindo no combate a infecções. Existe um aumento dos casos de pneumonia e tuberculose em alcoólicos.

Osteoporose: o alcoolismo crônico, ou seja, aquele que bebe há muitos anos, tem uma maior predisposição a desenvolver osteoporose em idade avançada e a ter mais casos de fraturas. Isso ocorre por conta do desequilíbrio metabólico do cálcio e pelas alterações das dosagens de vitamina D.

O alcoolismo é uma doença e precisa ser tratado!
Procure um médico de sua confiança e tire suas dúvidas.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.