Saiba quais setores afastam mais funcionários no Brasil

Foto de capa com 5 imagens representando setores de trabalho brasileiro. (mercado, construção, transporte, administrativo e saúde)

Segundo o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil possui em média 208,5 milhões de habitantes, distribuídos por 5.570 municípios e conta com 33,1 milhões de trabalhadores formais no setor privado.

Dentre estes trabalhadores, milhares estão expostos à condições de trabalho que põem em risco a sua própria saúde, deixando-os vulneráveis ao desenvolvimento de uma doença ou a sofrer um acidente de trabalho.


Para a realização deste texto foram analisados os setores econômicos com maior quantidade de afastamentos do tipo acidentário (B91) e do tipo não acidentário (B31) dentro do universo de trabalhadores com vínculo empregatício.
Os dados foram analisados no período entre os anos de 2012 e 2018, levando em conta as diferenças entre os benefícios acidentários e não acidentários.

AFASTAMENTOS DO TIPO NÃO ACIDENTÁRIO (B31)

O B31 é o benefício concedido aos trabalhadores que estão impedidos de realizar suas funções por acidentes ou doenças não relacionadas ao exercício laboral.
Os setores econômicos que mais afastam seus funcionários por B31 são:

1º) Administração pública em geral

Homem executivo escrevendo.
número representando 680.976 casos

O primeiro lugar é representado pelos trabalhadores da área de administração pública em geral, somando um total de 680 mil casos de afastamentos.

2º) Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – hipermercados e supermercados

imagem de corredor de supermercado 
número representando 324.791 casos

O segundo lugar é representado pelos varejistas do mercado alimentício, com prevalência em hiper e supermercados, que compõe um total de 324 mil casos de afastamentos por doenças ou acidentes não relacionados ao trabalho.

3º) Atividades de atendimento hospitalar

imagem com enfermeiros
número representando 323.881 casos

O terceiro lugar é representado por todos os profissionais que atuam em atendimento hospitalar e que estão suscetíveis à inúmeras condições que levam ao afastamento pelo INSS.

4º) Construção de edifícios

trabalhadores em uma construção de edifício,   Número representando 284.035 casos

Outro setor significativo na lista de afastamentos fica por conta dos profissionais da construção de edifícios. Com 284 mil casos registrados, esse setor ocupa o quarto lugar entre os principais setores que são afastados pelo INSS.

AFASTAMENTOS DO TIPO ACIDENTÁRIO (B91)

O B91 é o benefício cedido ao trabalhador que sofreu um acidente ou que está com alguma doença que o impede de exercer suas atividades de trabalho.
Esse acidente/doença está diretamente ligado ao trabalho, portanto trata-se de um acidente de trabalho ou doença ocupacional.
Esse tipo de afastamento obrigam os profissionais a se afastarem dos cargos e provocam significativa redução da produtividade em diversos setores econômicos.

Os setores econômicos que mais afastam seus funcionários por B91 são:

1º) Administração pública em geral

Homem mexendo em uma calculadora com um lápis na mão, representando um administrador público. Número de casos é 58.147

O setor de administração pública em geral ocupa o primeiro lugar entre os principais setores que afastam funcionários por acidente ou doença de trabalho, podendo ser considerado um dos setores ocupacionais mais doentes.

2º) Transporte rodoviário de carga

Os trabalhadores do setor de transporte rodoviário de carga também somam um significativo número de afastamentos por doenças e acidentes do trabalho. Sua exposição constante à situações de estresse e risco de acidentes podem ser indicativos do porque essa categoria ocupa o segundo lugar.

3º) Construção de edifícios

Risco de queda, longas exposições à ruídos e estresse podem ser alguns exemplos dos perigos associados à construção de edifícios.
O terceiro lugar é representada por esses profissionais, que atingiram a marca de quase 54 mil casos de afastamentos acidentários previdenciários.

4º) Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – hipermercados e supermercados

Ocupando o quarto lugar, mas não menos significativo, está o setor varejista, com a marca de quase 50 mil casos de acidentes de trabalho.


Os riscos ocupacionais, incluindo acidentes e doenças ocupacionais, marcam um dos grandes problemas encontrados na SST – Saúde e Segurança do Trabalhador. Seja por negligência, por pouco investimento no setor, por más condições estruturais ou pelo não cumprimento de protocolos importantes, todas acabam gerando graves danos à saúde ou à integridade física do profissional.

A melhor forma de evitar acidentes e doenças de trabalho é elaborando e seguindo campanhas de prevenção!
Fique atento às possíveis situações de risco da sua empresa


Os dados foram obtidos através da plataforma SmartLab, que foi desenvolvida a partir dos dados encontrados no Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho do Brasil. Ela busca desenhar um panorama da concessão de benefícios previdenciários concedidos aos afastamentos pelo INSS dentro do território nacional, segmentando os dados por setores, estado e por município, e assim, facilitando demais a consulta por tais informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.