Saiba qual a importância de informar o CID em atestados médicos

Os atestados médicos são documentos que o trabalhador entrega em caso de impossibilidade de cumprir sua carga laboral devido a um problema de saúde.
Você já deve ter visto situações em que a empresa solicita que o CID – Código de Classificação Internacional de Doenças, seja informado nesses documentos, certo?

Mas você sabe qual a importância de informar o CID em atestados médicos para o trabalhador e para a empresa?

imagem de atestado médico

Para que os atestados médicos sejam válidos, é obrigatório:

  • Estar em papel timbrado;
  • Conter o nome completo do trabalhador;
  • Data e hora do atendimento;
  • Período de afastamento determinado pelo médico;
  • Nome do profissional da saúde deve estar legível e acompanhado da assinatura e do número do registro do no conselho (CRM ou CRO);
  • Não conter nenhum indício de rasuras (caso perceba esses indícios de adulteração do documento ou até sua falsificação, sinalize seu corpo jurídico). 

E como dado não obrigatório, está o CID, que deve ser informado apenas com autorização do trabalhador.

Então, por que informar o CID nos atestados médicos?

O CID fornece códigos relativos à classificação de doenças e de uma grande variedade de sinais, sintomas, aspectos anormais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas para ferimentos ou doenças.
É ele quem definirá o motivo de afastamento de seu funcionário, seja de alcance previdenciário ou não.

Além da representação do motivo de ausência, o CID é imprescindível ao Nexo Técnico Epidemiológico (NTEP). Será possível a elaboração da relação estatístico-epidemiológica entre o código da Classificação Internacional de Doenças (CID) e o ramo de atividade econômica de sua empresa, o CNAE (Cadastro Nacional de Atividades Econômicas).

A detenção dos dados relacionados ao motivo dos afastamentos médicos permitirá também que as empresas planejem ações de saúde voltadas aos problemas da sua população a fim de evitar problemas com absenteísmo no setor.
Quando a empresa não sabe o que está ocorrendo com os trabalhadores, suas ações ficam sem direcionamento e podem não ter os efeitos esperados, trazendo assim imensos prejuízos para os funcionários.

imagem de uma caneta escrevendo um CID
Uma aplicação clara do exposto é no planejamento de benefícios aos trabalhadores:

Pense em uma população com grave problema ergonômico, porém desconhecido até então pela empresa, que está representando uma porcentagem de 8% de absenteísmo total empresarial.
Agora imagine que dentre esses afastados, nenhum apresentou atestado médico com a presença de CID.

Como a empresa pode resolver um grave problema que desconhece a origem?

A ausência dos CIDS, indicativos claros de doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo, não permitirá que a empresa desenvolva programas de ergonomia visando prevenção e correção dessas doenças, significando enorme prejuízos à saúde dos trabalhados, como também para a empresa, que verá um déficit econômico significativo em sua folha.


Agora pense em outra população, uma equipe de 40 pessoas que apresentou uma taxa de afastamento desconhecido de 25% nos últimos 30 dias, com uma média de afastamento de 20 dias/funcionário.

Imagine a quantidade de dias perdidos de trabalho e o prejuízo envolvido nesse cenário. Custos previdenciários, queda na produção, substituição de mão de obra, gastos com turnos extras, entre outros inúmeros gastos.
É um custo significativo, certo?

A identificação do motivo desses afastamentos evitaria que boa parte da sua equipe fosse afastada e, portanto, evitaria todos os prejuízos envolvidos nesses afastamentos.

Com a presença dos CIDs nos atestados médicos entregues por esses funcionário, seria possível identificar que trata-se de um quadro unânime de afastamentos por Transtornos mentais e comportamentais, por exemplo, e que com essa identificação poderiam ser inseridas pesquisas de clima organizacional para identificação de um problema interno de gestão, concomitantemente à implementação de programas de apoio psicológico que visam o combate ao estresse e ansiedade.


Vistos os cenários, fica evidente que uma boa gestão de atestados ocorre quando somada à uma boa análise dos principais motivos que levaram ao afastamento dos funcionários. Só assim será possível definir o melhor caminho e direcionar, por exemplo, as principais campanhas de saúde para melhorar a qualidade de vida laboral.
Para que isso aconteça, é essencial ter a presença dos CID’s nesses atestados!

Converse com seus funcionários sobre a importância dessa ação e os benefícios que eles terão com essa mudança de conduta!

Solicite o CID!