Cálculo do absenteísmo – Como fazer?

Ilustração dalculadora

Fazer o cálculo do absenteísmo da sua empresa é fundamental para acompanhar de perto a produtividade e a saúde da sua equipe, mensurar se o headcount está adequado à atividade exercida e até mesmo para investigar a satisfação dos seus funcionários dentro do ambiente de trabalho.
Apesar de simples, o cálculo apresenta algumas nuances que devem ser acompanhadas de perto para garantir a sua acuracidade!

Se você só precisar de uma estimativa do absenteísmo:

Então, como calcular o absenteísmo?

Para calcular o absenteísmo, você precisa dividir o total de horas perdidas pelo total de horas trabalhadas. Por exemplo, supomos que seus funcionários faltaram um total de 6.000 horas no mês. Se a carga horária da sua empresa são 220hrs/mês e você tem 1.000 funcionários, sua conta seria:

6.000 / (220*1.000) = 0,0272 (ou 2,72%)

Essa conta pode ser feita a partir do número de horas trabalhadas por dia também, como mostrado nas figuras abaixo:

calculo de horas trabalhadas e perdidas
Cálculo do absenteísmo

Apesar das contas serem simples, os cálculos dos seus componentes (ex: total de horas trabalhadas / total de dias perdidos) podem variar muito de empresa para empresa e é aqui que se encontram as “tais nuances”. Para exemplificar, temos duas situações de absenteísmo:

Situação 1:
Setores com cargas horárias distintas

Dentro de uma indústria automobilística temos um setor de produção com 100 funcionários cumprindo turnos de 6 horas/dia e uma área administrativa com 10 funcionários cumprindo horário comercial de 8 horas/dia.

Como calcular o absenteísmo neste cenário?

É muito comum que se abstraia a diferença de horas trabalhadas pelos setores e se calcule 8h de turno diário para todos os funcionários. Erro este que resultaria em um acréscimo de 29% nas horas mensais totais a serem trabalhadas!

Para evitar este erro e garantir a acuracidade dos cálculos, o ideal é fazer o cálculo do absenteísmo separadamente para cada unidade de negócio e, por fim, calcular a média ponderada a partir do número de funcionários de cada setor. O primeiro passo para tal é encontrar o total de horas mensais que devem ser trabalhadas pelos seus funcionários:

Setor de produção: 6 horas/dia x 100 funcionários x 22 dias úteis/mês = 13.200 horas totais mensais
Setor administrativo: 8 horas/dia x 10 funcionários x 22 dias úteis/mês = 1.760 horas totais mensais

Valor total de horas mensais: ( 13.200 + 1.760 = 14.960 horas)

Situação 2:
Atestados que atravessam mais de um mês:


Funcionário entregou um atestado de 90 dias no dia 01/05 e estamos calculando no dia 15/05 a taxa de absenteísmo dos últimos 30 dias. Qual erro você deve evitar nesta situação?

Como não superestimar o seu custo de absenteísmo?

É de praxe utilizar o Excel para calcular os dias perdidos de trabalho a partir dos atestados médicos em de um determinado período e somar o total dos dias de afastamento dentro de um intervalo estipulado como alvo.
Por exemplo, para calcular a taxa de absenteísmo dos últimos 30 dias (assumindo que hoje é 15/05), é comum somar os dias de afastamento dos atestados cuja data de emissão é maior ou igual à 15/04 e menor ou igual à 15/05, correto?

No entanto, para a situação acima, o cálculo dos dias perdidos estaria superestimado uma vez que apenas 15 dos 90 dias foram “abstidos” até a data atual.

Para facilitar, vejamos a ilustração a seguir:

Exemplo de atestado longo

Na maneira errada de fazer o cálculo do absenteísmo, somam-se os dias de afastamento dos atestados emitidos em datas inferiores ou iguais à data de avaliação.
Nesse caso, ao realizar a avaliação de abstenção dos últimos 30 dias no dia 15/05, levando em consideração os atestados retroativos, somou-se o valor total de dias definido em atestado médico, ou seja, contabilizaram os 90 dias, mesmo que esses ainda não tenham sido cumpridos em sua totalidade.

Na maneira correta de fazer o cálculo do absenteísmo, soma-se apenas o período já contabilizado até a data de análise.
Portanto, como o atestado de 90 dias foi emitido no dia 01/05 e a data de avaliação de abstenção dos últimos 30 dias foi no dia 15/05, o correto é contabilizar apenas os 15 dias de abstenção e não o total de dias contidos no atestado médico, no caso os 90 dias.

Assim como este, existem outros diversos desafios de cálculo que devem ser superados para que o cálculo do seu custo esteja correto.

Quanto custa o Absenteísmo da minha empresa?

Para saber o valor exato do custo de abstenção da sua empresa, o primeiro passo é definir se vamos considerar apenas o salário bruto dos seus funcionários ou se vamos considerar o custo total (somando os impostos, benefícios e outros custos) do funcionário para a empresa. O mais indicado é utilizar a segunda opção, multiplicando o salário bruto do funcionário por um “fator multiplicador” que vai variar conforme o pacote que a sua empresa oferece ao seu funcionário. Veja o exemplo abaixo:

A empresa 1, além do salário bruto, oferece plano médico e odontológico, vale transporte, vale refeição, previdência privada, seguro de vida, benefício de academia e PLR aos seus funcionários. Ao somar todos os custos dos benefícios oferecidos, os respectivos impostos e os salários brutos e dividi-los pelo custo total do salário bruto dos funcionários, ela chegará ao multiplicador de 2.4.

A empresa 2 não oferece benefícios extras a seus colaboradores. Logo, ela soma o custo total com impostos e salário bruto e divide pelo salário bruto, chegando ao multiplicador de 1,8. Portanto, se o salário do funcionário for de 10 mil reais, a empresa vai considerar o valor total gasto sobre 18 mil reais.

Duas empresas distintas com diferentes multiplicadores são apenas um exemplo da pluralidade dos multiplicadores existentes no mercado e do impacto que variáveis aparentemente distantes (como os benefícios, por exemplo) podem ter neste indicador.

Quanto maior o percentual de absenteísmo, maiores são as dificuldades enfrentadas pela empresa!
Esses números refletem os impactos negativos na produtividade e no clima organizacional da sua empresa e mostram a urgência em elaborar planos de ação para reverter o quadro de abstenção e engajar gestores e colaboradores a mudarem esse cenário.

E aí, você está fazendo o cálculo do absenteísmo da sua empresa corretamente?

Saiba mais sobre o nosso sistemas de gestão de atestados e absenteísmo!

Conheça a Closecare