Saiba como reduzir a sinistralidade dos planos de saúde na sua empresa.

A busca estratégica por redução de custos é primordial entre as empresas.
Uma das principais maneiras para reduzir a sinistralidade dos planos de saúde na sua empresa é cuidando da saúde de seus funcionários, porém, quando mal assessorado, esses investimentos com a saúde podem ser revertidos e se tornarem significativas fontes de despesas.
Geralmente o uso indiscriminado dos planos de saúde corporativo é o principal vilão desses custos.

Para entender esse cenário, vamos compreender o que é sinistralidade:

Sinistralidade é um registro feito em apólice sobre a utilização do plano de saúde pelo funcionário.
Lá se determina o uso quantitativo através de consultas, exames, tratamentos, internações, etc.. Em resumo, é a relação entre o uso e a receita com os planos de saúde, ou seja, quanto maior o uso dos serviços de saúde privada, maior os gastos do plano de saúde e portanto, maior sinistralidade.
Todas as operadoras de saúde suplementar, alegando gastos altos, utilizam a sinistralidade como argumento para aumentar o reajuste contratual na renovação e cobrar mais das empresas. Por isso, há interesse empresarial na redução da sinistralidade em sua empresa.
O cálculo da sinistralidade é feito através da soma anual de utilização (sinistro) dividido pelo prêmio, que é a mensalidade paga pelo beneficiário, multiplicado por 100. Esse resultado deverá estar dentro dos valores acordados previamente em contrato, caso ultrapasse, esse valor sofrerá um reajuste e consequentemente despesa para a empresa.

Mas como posso reduzir a sinistralidade na minha empresa?

A redução pode ser feita de diversas maneiras, porém, todas tem como foco a diminuição da utilização dos planos de saúde.
Para que isso ocorra, você pode implantar a gestão de saúde entre seus colaboradores, para evitar e/ou minimizar riscos à saúde. Implementar ações de saúde primária, onde a promoção de saúde e a prevenção de riscos estão em evidência, são de longe a melhor opção para mudar esse cenário.

  • Crie programas de qualidade de vida: estimule a adoção de mudança de hábitos, favoreça uma alimentação mais saudável associada à práticas físicas;
  • Conscientize sobre as principais doenças crônicas: alcoolismo, tabagismo, obesidade, diabetes e hipertensão são as principais doenças crônicas com alto índice de morbidade. Oriente sobre os riscos e traga mudanças para esse público;
  • Promova palestras: traga à tona assuntos importantes para a saúde física e emocional, apresente os riscos à saúde e as possíveis forma de prevenção e tratamento;
  • Crie campanhas sazonais: apoio a vacinação, outubro rosa, novembro azul, etc. Estimule sempre que possível a conscientização sobre a saúde;
  • Cuide da Saúde Mental: os distúrbios mentais são os mais prevalentes entre os adoecimentos corporativos, cuide da saúde mental do seu funcionário;
  • Cuide da Ergonomia: problemas posturais também estão em destaque no uso abusivo dos planos de saúde, elabore ações ergonômicas, disponibilize ginástica laboral, se preocupe com a mobília de trabalho de seus colaboradores;
  • Invista na saúde ocupacional: siga as normas de saúde do trabalho, estimule a realização de exames preventivos periódicos.
  • Acompanhe suas gestantes: tenha à disposição das mulheres um programa para acompanhar sua gestação, esclarecendo todas as suas dúvidas e orientando os cuidados necessários com a gravidez.
  • Opte pelo plano de coparticipação: trazer a responsabilidade de pagamento para o funcionário fará com que o uso do plano de saúde seja consciente e que ele utilize apenas quando for realmente necessário.

Não se esqueça, ações preventivas são a melhor maneira de cuidar da saúde do seu funcionário e reduzir os custos da sua empresa!